Badi Assad em “Cantos de Casa”

CANTOS de CASA  Infantil

 

Música para acordar, para dormir, brincar, comer, música feita de material de construção, de material reciclado, música tocada por vassoura e panela! Tem música até tocando a escova de dente! Assim será o show Cantos de Casa, baseado no cd infantil homônimo de Badi Assad.

Cantos de Casa é a montagem de um show-teatral onde se compartilha um possível cotidiano de uma criança, através do mundo mágico de uma casa totalmente feita de instrumentos musicais. Todas as canções foram compostas por Badi e inspiradas durante os primeiros anos da vida de Sofia, sua primeira filha.

O trabalho apresenta, de forma divertida, temas como respeito à vida, alimentação saudável, higiene, sustentabilidade, reciclagem, entre outros mais. Para isso o diretor Angelo Brandini convidou para atuar ao lado de Badi um palhaço, Henrique Rimoli Campos, que interpreta a criança. Badi, por sua vez, interpreta a mãe da ‘criança’ e a divertida Roberta, empregada doméstica e babá.

Através de uma narração simples, o espetáculo utiliza o carisma das personagens para dialogar com a plateia, convidando-os ora para cantar juntos (Qualquer coisa por você), ora para descobrir que seus corpos também são instrumentos musicais (Corpinho musical) ou para tentarem salvar os ‘Três Tristes Tigres’, num intrincado trava- línguas…

 

Para reiterar a ideia de sustentabilidade, o cenário e figurinos de Cantos de Casa são feitos com materiais reciclados e as músicas são tocadas, além dos convencionais violão e contrabaixo, apenas com instrumentos percussivos construídos a partir do que, naturalmente, encontramos em cada cômodo da casa:

 

‘Logo de manhã’ , ‘Bicharada’ e ‘No colo do papai’ acontecem no quarto, onde Badi usa um ukulele, como se fosse mais um dos brinquedos, e uma luminária feita especialmente para o espetáculo pelo luthier Jamil Giúdice, construída com garrafas pet e afinadas com ar! As músicas que acontecem no banheiro, ‘Salvador’ e ‘Qual é a da água?’ são tocadas com instrumentos feitos através de materiais de construção, também construídos pelo Jamil, como tubos de pvc, flauta de cobre, pias etc. As músicas sobre alimentação ‘Café-da- manhã’ e ‘Tá com fome de quê?’ acontecem na cozinha e são usados pratos, panelas, frigideiras, copos afinados e tambores de água…

A música de abertura ‘O chocoalho’, que fala sobre limpeza, é toda tocada com vassouras, espanadores, pandeiro feito de pratinho de vaso de flor e um contrabaixo construído com balde e cabo de vassoura, apelidado de contra-balde. Além desses ambientes, ainda há músicas que acontecem na sala e no quintal, sempre seguindo a mesma ideia de raciocínio e construção.

 

Os figurinos são compostos por elementos que mesclam códigos do teatro com outros que remetem aos temas abordados. A iluminação conduz o passar do dia e pontua, através de cores, a movimentação dramática.

 

Para compor a banda, Badi convidou os músicos Allen Alencar (contrabaixo) e Claudinho Santana (percussões diversas).

 

Duração: 60 minutos  |  Classificação: Livre/ Infantil

 

 

 

 

Ficha Técnica:

 

Direção e Roteiro   Angelo Brandini

Cantora, violonista e atriz Badi Assad

Palhaço    Henrique Rimoli Campos

Músicos   Allen Alencar (contrabaixo) e Claudinho Santana (percussões).

Figurinista   Christiane Galvan

Cenógrafo   Bira Nogueira

Luthier de Instrumentos Musicais Recicláveis   Jamil Giúdice

Engenheiro de Som   Dimitri Vakros

Engenheiro de Luz   Silvestre

Produção Executiva DG Produções Artísticas

 

Repertório:

 

1. O Chacoalho

2. Logo de Manhã

3. Bicharada

4. Salvador

5. Café-da-manhã

6. Tá com fome de quê?

7. Três tristes tigres

8. Corpinho Musical

9. Qual é a da água?

10. Qualquer coisa por você

11. A Bola

 

 

Escute aqui:

Bicharada

Três Tristes tigres

Logo de manhã

O Chacoalho