Banda Aláfia

ALÁFIA prepara lançamento do seu quarto álbum

 

Após 7 anos de estrada e três álbuns lançados no Brasil e exterior, o Aláfia se prepara para turnê de lançamento do seu quarto álbum.

Neste momento, o grupo, muito ligado às temáticas da cultura afrobrasileira e suas vertentes como o candomblé, funk e o hiphop, propõe investigar mais a fundo a linguagem do sambasoul, reverenciando ícones que construíram este gênero musical. Soma-se à esta linguagem, ainda, o referencial estético de George Clinton e do seu P-Funk,  explorando mais as potências vocais do Aláfia e trazendo à tona reflexões políticas, sociais e raciais, marca predominante em seu trabalho. O álbum tem direção e produção de Eduardo Brechó e lançamento previsto para agosto de 2019.

Aláfia é formado por Eduardo Brechó (voz e guitarra), Jairo Pereira (voz), Fabio Leandro (teclado), Pedro Bandera e Victor Eduardo (percussão), Lucas Cirillo (gaita), Gabriel Catanzaro (baixo), Estela e Eloisa Paixão (vocais), Filipe Gomes (bateria), Igor Damião (guitarra) Vinicius Chagas (saxofone).

Duração do show: 1`30

 

+Sobre ALÁFIA

Surgido no ano de 2011, o grupo se apresentou pela primeira vez em  junho de 2011 no Bar B. Logo após o êxito de sua primeira noite nos palcos, o grupo permaneceu em temporada tocando toda última quinta do mês, sempre com lotação máxima de público.

No mesmo período ,a banda foi chamada para tocar no Festival Internacional Wapi Brasil, nos eventos das Pílulas da Cultura Feira Preta. Por se identificar com os propósitos da campanha Eu Africanizo São Paulo, a banda aceitou o convite e a parceria se deu durante o mesmo ano.

 

O ano de 2011 foi ano de criar público. Ano em que se tocou em diversas casas noturnas de São Paulo, Ribeirão Preto e Campinas, como Tapas Club, Centro Cultural Rio Verde, Espaço Urucum, Kabul, Espaço Zé Presidente, Goa Lounge (RP), Casa São Jorge (Barão Geraldo).

Grande parte desses shows contaram com a presença de convidados como Lurdez da Luz, Rincón Sapiência, Luciana Oliveira,  Mc Sombra, Raphão Alaafin, Thera Blue, Lews Barbosa (Potencial 3), Akins Kintê, Zinho Trindade.

 

Nesse mesmo período iniciava-se o processo de gravação do primeiro disco da banda com composições autorais, as quais constantemente estavam sendo trabalhadas e ensaiadas durante os shows.

 

Em 2012, a banda passou a frequentar alguns festivais onde pôde ter contato com palcos maiores, sendo convidada a tocar na Virada Cultural de São Paulo na Pça da República, em seguida no IX Jongo do Dito Ribeiro (Campinas), e no João Rock, festival esse que contou com nomes como O Rappa, Charlie Brown Jr, Criolo, Zeca Baleiro, etc.

Também tocou no Cidade Sonora, projeto de ocupação da Funarte, juntamente com outras bandas e nomes do cenário paulistano (Emicida, Rael, Bixiga 70, Pipo Pegoraro, Ellen Oléria, Siba, etc.). Além de shows pontuais em casas noturnas como StudioSP, Puxadinho da Praça, Matilha Cultural, Centro Cultural Monte Azul, Galeria Olido e saraus e festas pela cidade.

 

Neste  mesmo ano se tornou ‘banda residente’ do projeto ” Hip Hop Memória e Oralidade”, evento promovido pela prefeitura de São Paulo”, participando das edições de 2013 e 2014.

Estes eventos foram importantes para a banda pois a mesma ainda não havia tocado para públicos tão diversos e tão numerosos, sendo bem recebida e até aclamada em sua maioria.

 

Uma versão de sua música Ela é Favela com participação de Lurdez da Luz (gravada no período de formação da banda) veio a integrar a coletânea Coletivo Urbano. A mesma faixa está percorrendo o mundo e foi destaque no programa de Max Heinhardt da BBC de Londres.

 

No final deste ano, foram convidados a integrar o selo YB e passaram a gravar nos seus estúdios onde puderam ter a estrutura adequada para buscar a sonoridade que o disco necessitava em sua finalização.

 

Em setembro de 2013, Aláfia lançou seu primeiro album . O show de lançamento foi realizado na Choperia do SESC Pompéia. Os ingressos se esgotaram e muita gente ficou para fora.

A partir de então se apresentaram  no Vale do Anhangabaú, em grande palco montado para o evento de Comemoração do dia da Consciência Negra; na abertura da Mostra Cultural da Cooperifa; no Festival da Alta Mogiana (FAM), em Ribeirão Preto;  no projeto Conexão SP; CEU Paz e CEU Paraisópolis, e na Mostra Cultural da Favela Monte Azul.

No fim de 2013 realizaram seu primeiro show internacional na Plaza de la Revolución em  Havana, Cuba.

A música Punga integrou a coletânea brasileira da Revista inglesa Songlines.

Em  2014, a agenda de shows aumentou. A banda se apresentou no palco da Zona Leste, Parque do Carmo, no evento de comemoração dos 460 anos de São Paulo,  no palco da Globo no Parque do Ibirapuera, Virada Cultural Paulista no palco Casper Líbero, Feira do Livro em Ribeirão Preto, Virada Cultural do Estado na cidade de Araraquara, Circuito Cultural Paulista (Avaré, Botucatu, Gurarema, Catanduva, Francisco Mourato e Mariporã) , SESC Belenzinho, SESC Itaquera, SESC Santos e SESC Campo Limpo.

 

Em maio, a banda lançou o novo single “Quintal”  acompanhado do primeiro videoclipe, que teve mais de 4000 visualizações em 2 dias.

A música ‘Mais Tarde’ integrou a trilha oficial do videogame “Fifa World Cup 2014”.

 

Em setembro de 2014, retornou à Choperia do SESC Pompéia para o lançamento do vinil. Novamente com a casa lotada, foi um sucesso.

 

Em outubro, Aláfia tocou pela primeira vez para 40.000 pessoas no show CHICO 70, em comemoração aos 70 anos do compositor Chico Buarque, no Auditórorio do Ibirapuera. Além de tocar duas versões para as músicas Construção e SInhá, Aláfia foi a banda base da Elza Soares e Criolo. O evento  foi promovido pelaTrip Transformadores e YB.

 

Neste ano,  a banda começa a levar seu  trabalho para outros estados brasileiros. Se apresentou pela primeira vez no Rio de Janeiro, em fevereiro, no Oi Futuro. Em novembro, integrou a programação da Mostra SESC Cariri de Cultura, em Juazeiro do Norte (CE) e o Festival de Artes de Goiás (GO).

 

Na televisão, já passaram pelos programas Cultura Livre, Metrópolis, Manos e Minas, além do web show Showlivre.

 

Em 2015, ganha o edital da Natura Musical para a gravação de seu novo disco, Corpura., e lança seu novo trabalho em setembro de 2015, no Auditório Ibirapuera.

 

Em 2016, com o lançamento do disco Corpura, Aláfia fez 47 shows passando por cerca de 30 cidades, 7 estados e 4 países. Participou da Virada Cultural Paulistana, do Circuito Sesc de Artes além das participações no Festival Vento (Ilhabela), Festiva SeRasgum (Belém), Festival Radioca (Salvador) Festival Circulart (Colombia), Festival Tocatas Mil (Chile) e no Uruguay se apresentou na Sala Zitarrosa.

 

Neste mesmo ano lançou o Corpura em vinil no Sesc Pinheiros e um clipe duplo das faixas

« Corpura » e « Adinkras ».

 

Na televisão, voltaram a se apresentar no Manos e Minas (TV Cultura) no programa Especial Consciência Negra

 

Em 2017 Aláfia lança « SP Não é Sopa, na Beirada Esquenta », na Comedoria do SESC Pompeia, em São Paulo. O terceiro disco da banda foi viabilizado pelo PROAC editais.

 

Em maio e junho deste ano, A banda faz sua primeira turnê na Europa, apresentando-se na Dinamarca, Finlândia, Portugal, França e Turquia.

 

Na Televisão, se apresentaram no programa  Cultura Livre (TV Cultura).

 

Em 2019, ALÁFIA participa do FESTIVAL LOLAPALOOZA BRASIL

 

LINKS:

Youtube.com/Alafiatv

facebook.com/aifalaalafia

instagram.com/alafiaoficial

 

Release Aláfia 2019