Joana Duah

Joana Duah é uma intérprete versátil e com forte personalidade dentro da música brasileira atual. Passeou, sempre com destaque, pela seara do samba, da bossa nova,  do samba-jazz, do baião e da música latina.

Em 1993, integrou o grupo pop Maskavo Roots, contratado por Manoel Poladian e lançado pela Warner do Brasil. O primeiro disco do grupo, produzido pelo compositor Nando Reis e pelo produtor Carlos Eduardo Miranda, é um dos melhores lançamentos brasileiros da década passada. A canção “Tempestade”  tocou nas rádios FM e “Escotilha” foi trilha sonora de uma série  da TV Globo do Brasil.

Foi integrante do grupo Afro-Brasileiro BATACOTÔ, sob a direção de Teo Lima (diretor musical de Ivan Lins).                   Entre alguns artistas com quem se apresentou destacam-se: Dominguinhos, Rosa Passos, João Bosco, Jovino Santos Neto, Guinga, Arismar do Espírito Santo, Wagner Tiso, Toninho Horta, Roberto Menescal, João Donato, Sérgio Santos e Dionne Warwick.

Joana passou o final da década de 90 em Nova York, até o ano de 2004. Entre as principais casas em que se apresentou estão a SOB (Sounds of Brazil), Sweet Basil, Café Wha e a Nublu. Participou  de Festivais de Jazz em Dubai, Buenos Aires, Lima e Tel Aviv.

Em 2002 apresentou-se por três meses em Hong Kong, China, com repertório de  samba, baião e salsa, ao lado de  músicos brasileiros, cubanos, suíços e americanos.

Joana formou-se em Artes e Performance Musical pela New School University(NY) e faz sua pós graduação na Faculdade Santa Marcelina (SP) em “Canção Popular”, além de ser certificada pela Unicamp em “Estudos do Canto e da Canção Popular”. Nove anos atrás, deixou os Estados Unidos e voltou ao Brasil (RJ) para gravar seu primeiro CD solo(“Dá Licenca”), lançado pela gravadora Rob Digital e produzido por João Samuel (produtor indicado ao Grammy Latino pelo cd “Sambalanço” de João Donato).

Mora atualmente em São Paulo e se prepara para o lançamento do 2o álbum da carreira.

NOVOS SHOWS:

Triste Colombina com Joana Duah, Guilherme Ribeiro e Alê Ribeiro – Projeto Carnaval 2015

Na contra-mão do carnaval, o show “Triste Colombina” apresenta repertório de serestas, baladas, blues e sambas-cançao, tendo como temática  a “dor-de-cotovelo”, o elogio do perdedor, o despudor de amar sem ser correspondido, a paixao rasgada, o riso amargo, a vingança, enfim, o anti-carnaval da triste colombina ou colombina blue.

A cantora Joana Duah, ao lado do pianista e acordionista guilherme ribeiro e do clarinetista alexandre ribeiro, selecionou o repertorio por letras altamente pessoais e catárticas. o trio se debruça na obra de  lupcínio rodrigues, custodio mesquita, agnaldo rayol, caetano veloso, andre abujamra, luiz reis, entre outros.

A cançao “Ciuminho” de Joao Roberto Kelly, conhecido autor de marchas de carnaval, é aqui revisitada em arranjo sombrio e carregado de modulaçoes. em  ” a tua presença” de caetano veloso o arranjo ganha viés eletrônico para engatar na sofrida balada   ” anything to say you’re mine” , famosa na voz da cantora de blues dinah washington.

O show tem arranjos de guilherme ribeiro e concepção e pesquisa de joana duah.

Joana Duah (voz)

Guilherme Ribeiro (piano)

Alexandre Ribeiro (clarinete)

70 ANOS SEM CUSTÓDIO MESQUITA  ( + 13/03/1945)

Joana Duah Apresenta “Enquanto Houver Saudade”

Para relembrar a obra deste imenso compositor, arranjador, regente, pianista e ator carioca, o espetáculo ” enquanto houver saudade”  apresenta  um repertorio de 18 musicas que pontuaram a carreira do compositor nas vozes de carmem miranda, angela maria, orlando silva, elizeth cardoso, entre outros grandes.

No show as musicas são rearranjadas e apresentadas na voz da cantora joana duah, que conta com o baixista marcelo mariano, o guitarrista conrado goys, o tecladista e acordionista guilherme ribeiro e os percussionistas amoy ribas e léo rodrigues, que  se juntam para apresentar um repertório variado de releituras modernas dos classicos como: saia do meu caminho, nada alem, a valsa de quem nao tem amor, mulher, e prazer em conhecê-lo, esta ultima em parceria com noel rosa e sucesso na voz de mario reis.

Seus variados parceiros, dentre eles mario lago, evaldo ruy e sadi cabral são relembrados no show que conta tambem com depoimentos em audio de mario lago, e em video de guinga, (que re- harmonizou maestralmente a densa cançao, “noturno”), e  marcos sacramento, cantor carioca que dedicou um show e um album de sua carreira `a obra do homenageado.

Neste show, joana duah trata de algumas das passagens de vida de custodio, falando da admiraçao e influencia que compositores como tom jobim declaravam ter recebido de mesquita. a interprete apresenta uma obra de jobim que reverencia as afinidades harmonicas e melodicas entre eles, e canta: “olha maria” , parceria com chico burque e vinicius de moraes, promevendo um dialogo emocionado com a obra de custodio.

o show tem arranjos de marcelo mariano, conrado goys e guilherme ribeiro, concepçao e pesquisa de joana duah.

Segue alguns links:

Programa a casa do som (mini documentário)
Com DUDU MAIA
Rosa Passos (Sua madrinha) falando de Joana